Saúde define estratégias para impedir avanço da dengue no Estado e São Simão figura entre os oito municípios goianos apontados como de alto risco para a dengue

A Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO) adotou uma série de medidas a curto prazo com o objetivo  de impedir o avanço da infestação do Aedes aegypti e dos casos das doenças transmitidas pelo mosquito em todo o Estado. Entre as ações a serem implementadas estão o fortalecimento da equipe responsável pela investigação das mortes suspeitas por dengue, a intensificação das visitas domiciliares em todo o território goiano, a distribuição de repelentes para a população de menor poder aquisitivo e a antecipação do repasse aos municípios de medicamentos necessários ao tratamento da dengue.

Estas e outras estratégias foram definidas durante reunião realizada na sede da SES-GO, da qual participaram representantes da Saúde Estadual e gestores dos oito municípios goianos apontados como de alto risco para a dengue. O coordenador-geral de Controle de Dengue da SES-GO, Murilo do Carmo, informa que estão incluídos neste grupo as localidades com maiores índices de infestação do Aedes, maior número de casos da doença e maior contingente populacional. São os municípios de Acreúna, Caldas Novas, Iporá, Paranaiguara, Porangatu, Quirinópolis, Rio Verde e São Simão, localizados em diferentes regiões do Estado.

Em São Simão, a prefeitura tem tomado medidas enérgicas no combato ao Aedes, travando uma verdadeira guerra em todos os cantos da cidade. Medidas que vão desde mutirões de limpezas a notificações a donos de imóveis com focos do mosquito.

Na manhã desta terça-feira (27), mais uma caminhada foi promovida pelas ruas da cidade, com o objetivo de alertar a população sobre a necessidade de cada um cuidar de seu quintal e dos riscos da dengue, que também mata.

Durante o encontro também foi definida a disponibilidade do repasse de bombas costais aos municípios para combate ao Aedes, a distribuição de testes rápidos para o diagnóstico mais célere da dengue e a atuação incisiva das Vigilâncias Sanitárias Municipais nos imóveis que apresentam reincidência de focos do Aedes aegypti. A SES-GO está elaborando uma nota técnica definindo as ações a serem efetivadas nos municípios para o controle do Aedes.

O secretário de Estado da Saúde Leonardo Vilela acentua que o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya em todo o Estado exige uma ação de gestão ousada e a união de esforços dos representantes do Estado e dos municípios. Ele destaca que a ação Goiás contra o Aedes, desenvolvida em Goiás a partir do final de 2015, conseguiu diminuir de forma significativa os índices de infestação do inseto e os números dos casos de dengue em todo o território goiano.

Os dados da SES-GO apontam que o número de casos confirmados de dengue diminuiu drasticamente nos últimos três anos. Em 2016, nas seis primeiras semanas do ano, foram confirmados 20.642 casos de dengue. Em 2017, no mesmo período, foram constados por meio de exames clínicos e laboratoriais 6.332 casos de dengue. Neste ano, a quantidade de casos confirmados despencou para 3.987 Mas é necessária vigilância constante para impedir a propagação das doenças transmitidas pelo mosquito.

 

Testes rápidos

A SES-GO distribuirá 75 mil testes rápidos aos municípios para a detecção dos casos de dengue, zika e chikungunya. Tal fato, explica Murilo do Carmo, é fundamental para a rapidez do diagnóstico e realização imediata do tratamento, o que contribui para a diminuição das mortes pela doença. Também serão distribuídos 178 mil frascos de repelentes para a prevenção da picada do Aedes. Inicialmente, segundo o coordenador-geral de Controle de Dengue, serão beneficiadas com o produto as pessoas cadastradas no programa Bolsa Família, que oficialmente têm menor renda.

 

Medicamentos

Entre os medicamentos a serem repassados aos municípios estão soro endovenoso, soro de reidratação oral, dipirona injetável e em comprimido, utilizados no tratamento da dengue e outras doenças relacionadas ao Aedes. O superintendente executivo da SES-GO Deusdedith Vaz assinala que por meio desta ação a SES-GO cumpre o papel de atuar de forma complementar, tendo em vista que a assistência básica é de responsabilidade do município. A SES-GO também orientará e incentivar os gestores municipais a realizar ações de Vigilância Sanitária nos domicílios para a identificação dos imóveis com reincidência de focos e adoção de medidas de punição. Constatada a reincidência, o responsável pelo imóvel é notificado, a corrigir a irregularidade. Caso a questão não seja resolvida, ele é intimado. Se o problema persistir, é expedido um auto de infração e instaurado processo administrativo.

Você pode gostar...