Força-tarefa da prefeitura retira mais de 12 caminhões de sucatas e entulhos da casa de morador da Vila Bela

A Prefeitura promoveu, quarta-feira (7/02), uma verdadeira força-tarefa para eliminar uma grande quantidade de lixo e entulho, na Vila Bela, mais precisamente na residência do Senhor Francisco. Popularmente chamado de Chico Cabeludo, o morador é um velho conhecido da cidade e do bairro por acumular em casa sucatas e entulhos, colocando em risco a saúde pública e por ser frequente alvo de reclamações de vizinhos.

Essa é a terceira vez que a prefeitura tem de intervir no local. Outras administrações também passaram pela mesma situação. Nas três retiradas de entulhos na casa do morador, a prefeitura informou que as ações foram motivadas por denúncias de vizinhos preocupados com o excesso de lixo.

A operação mobilizou um exército de homens e máquinas.  O secretário de Saúde, José Fernandes, informou que houve a necessidade do uso de um caminhão munck, uma pá-carregadeira e dois caminhões basculantes, além de cerca de 20 pessoas para o cumprimento da limpeza. “O morador do local apresenta uma compulsão muito forte para acumular todo tipo de objeto”, disse.

No total foi apreendido pela fiscalização, 12 caminhões de entulhos e sucatas, o que corresponde, aproximadamente, a 200m³ de material. A retirada ocorreu em cumprimento a uma ordem de serviço da Procuradoria Jurídica Municipal e do Ministério Público.

Segundo o secretário, o senhor Francisco é conhecido por dificultar a entrada dos agentes no local e já havia sido notificado outras vezes por acumular lixo e não deixar os fiscais entrarem no local.

“Acionamos a Justiça e conseguimos uma autorização, pois o local apresentava risco iminente à saúde pública”, ressaltou.

Além de cinco sucatas de veículos, que estavam “guardadas” num terreno ao lado da residência do morador, na calçada em frente ao imóvel, também foi retirado um automóvel sucateado.

De acordo com o secretário, havia também uma imensa quantidade de pneus, entre outros. “Todo o material foi levado ao Premoldados II, onde ficará sob a tutela do município e à disposição do morador por 15 dias. Depois desse prazo, se o mesmo não der uma destinação adequada para o material, a prefeitura realizará um leilão e o montante arrecadado, doado a entidades sem fins lucrativos, do município”, afirmou.

Dias antes da operação, os agentes em visita ao imóvel encontraram grande quantidade de recipientes com água parada, sendo detectada a presença de várias larvas do Aedes aegypti, o mosquito que é vetor de transmissão da dengue.

Durante a operação o morador se mostrou bastante irritado, mas não chegou a resistir à intervenção da prefeitura, como acontecido em outras oportunidades, onde precisou ser contido pelos Militares.

Para José Fernandes, é preciso que a população denuncie casos como esse para que não passem despercebidos. “A população tem um papel fundamental nesse momento de denunciar o caso à prefeitura”, orienta o diretor.

A ação foi precisa e alegrou moradores vizinhos que, à distância, fizeram questão de acompanhar o mutirão.

Os trabalhos foram coordenados pelo Departamento de Fiscalização de Obras e Posturas e secretária de Saúde, com apoio da Vigilância Sanitária, Superintendência de Endemias, secretaria de Infraestrutura, funcionários da Melo e Silva e, da Polícia Militar.

Você pode gostar...