É o fim da picada! Casa Abandonada na Rua 46 se transforma em criadouro do mosquito da dengue

Agentes de Endemias, depois de um arrastão de limpeza, denunciaram a situação de um imóvel abandonado que estava servindo de criadouro para o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya entre outras doenças. Na casa, localizada na Rua 46, no bairro Vila Bela, foi constatada a presença do mosquito.

A casa estava totalmente abandonada e suja, o que ocasiona a proliferação de doenças que acabam vitimando os vizinhos e toda a região.

Com o auxílio da equipe da Melo & Silva, os agentes retiraram do imóvel mais de 20 sacos de lixo, como restos de móveis velhos, vasilhames de bebida e diversos recipientes acumuladores de água.

Com a chegada do verão, dia 21, período característico pelas altas temperaturas e chuvas rápidas, aumentam as chances de proliferação do mosquito da dengue. Mas, com a conscientização, o cenário pode continuar sob controle no município, já que no ano passado, os mutirões de limpeza foram importantes para o baixo número de casos confirmados da doença, na cidade. Para continuar com o cenário atual, o município aposta nas ações anuais de prevenção, como visitas domiciliares e em pontos considerados estratégicos. “As ações para evitar o mosquito são contínuas e feitas durante o ano inteiro, fazemos visitas, por exemplo, onde temos o apoio dos agentes de endemias, que vão às residências, observam se existem criadouros e se existirem focos de fácil resolução, eles já eliminam”, explica o Gerente de Endemias, Klauber Alves Pereira Macedo.

Conscientização e prevenção

Ações básicas são capazes de evitar a proliferação do mosquito. Por conta disso, além das visitas periódicas, a secretaria de Saúde, realiza também ao longo do ano, campanhas de divulgação, panfletagem e contam com o item principal da prevenção: a conscientização da população. Para não receber a visita do mosquito da dengue, a prefeitura orienta os moradores a evitarem qualquer foco de água parada como pratinhos nos vasos de flores.

Cuidar de calhas e realizar a limpeza, não deixar piscinas abandonadas e fazer roçada em terrenos baldios são outras indicações. “As pessoas precisam entender que todo tipo de recipiente, desde uma tampinha de garrafa até uma caixa d’água destampada pode ser foco do mosquito, então a dica mais valiosa é evitar a água parada em todas as suas formas” orienta Klauber.

Você pode gostar...